Ads 468x60px

sábado, 4 de junho de 2011

Acerca da Benção de Toronto

(Texto postado por mim, Fabio, mas de autoria do Renan. Um texto antigo que ele havia me enviado acerca da "Benção de Toronto". Apesar do artigo estar 100% correto á luz da Bíblia, na época Renan era arminiano e alguns termos podem soar estranho apesar de ao meu ver não estarem errados. Portanto não estranhe coisas como "cristão que aceita o Batismo no Espírito Santo", não se posicionar como juiz,  ou sobre um suposto apoio da Unção do Riso... Nada comparado com coisas bizarras que já escrevi e que Renan tem vontade de postar aqui... Deus me livre!)

A Igreja de Cristo tem passado por muitas transformações, já não somos mais como éramos e muitos alegam que estamos “progredindo”, na verdade estamos “enferrujando”. Em meio a tantos acontecimentos dentro de “nossas” Igrejas, questiono se amamos a Cristo ou o “mover”. É difícil de definir, o correto é que nos tornamos vergonha, espetáculo diante dos homens e dos anjos.

Estive pesquisando a respeito da chamada “Benção de Toronto” e me assombrei com o que descobri. Aquilo que os pregadores históricos mais evitavam, é o que a nossa geração mais deseja...

Aprendi uma coisa com Deus: Todo e qualquer avivamento, seja local ou nacional, antes de se iniciar no joelho (oração), se inicia pela leitura da Palavra de Deus. É a palavra de Deus que nos guia a verdade e nos ensina o que é ou não aceitável na presença de Deus. Sempre concordei que Deus pode nos surpreender, um ímpio pode até se escandalizar com manifestações de dons e outras coisas, mas quando um cristão, que aceita o Batismo no Espírito Santo, se escandaliza, alguma coisa estranha está acontecendo.

Antes de prosseguir a discorrer sobre o assunto, quero deixar bem claro que não estou me posicionando como Juiz, mas sim como Atalaia. Nunca fui de julgar uma igreja por isso ou aquilo, mas o que está ocorrendo na Igreja da Comunhão do Aeroporto de Toronto e em igrejas neopentecostais em geral deixa qualquer crente de cabelo em pé (mesmo que esse crente seja pentecostal), se Gunnar Vingreen, Daniel Berg, Spurgeon, John Weslley, entre outros, estivessem vivos a “confusão santa” estava feita, porque eles iam debater a luz da Bíblia contra essa chamada “Benção”.

Certa vez li que fé envolve razão, naquele momento ri e pensei que o camarada não sabia o que é fé, mas hoje entendo o que ele queria dizer. Não podemos acreditar em  qualquer coisa “sobrenatural” como se fossem provenientes de Deus, analisemos cuidadosamente primeiro.

Dentro do campo teológico (não suporto teologia/letra, mas dessa vez a citarei) existe algo chamado de “Antecedentes bíblicos”, ou seja, algo que aconteceu no passado possui chances de acontecer no presente. Mas tudo o que for novo deve ser constantemente testado. I Co 4:6 nos ensina a não ir além do que está escrito, esse é o caminho para acertar; inovar de mais é o caminho mais curto para errar.

Não digo que coisas novas não possam acontecer. Gunnar Vingren (um dos fundadores da Assembleia de Deus) no livro “diário de um pioneiro” conta que no culto tinha tanto poder que um camarada flutuou duas vezes no ar e que alguém começou a rolar no chão e rindo de tanta unção. Por isso o que venho discutir aqui não é necessariamente a “unção do riso”, mas sim a “unção dos animais”.

Na Bíblia vejo inúmeras profecias “encenadas” (o pastor da Igreja do Aeroporto de Toronto afirma que a imitação de animais são profecias encenadas ), mas nenhuma que faça ao menos alusão de que o profeta imitou um animal. Nós aprendemos que existem três tipos de manifestações: de Deus, humanas e demoníacas.

Acredito que a situação de Toronto não entre na primeira classificação (de Deus), então questiono: É alma ou é demônio? Torço para que seja atividade humana (logo pode ser cessada de imediato), porém se encaixa com perfeição em atividades demoníacas. Paul Gowdy (Ex-líder da igreja de Toronto) afirma que mensagens de arrependimento não existiam, a ira de Deus não era pregação, santidade voava bem alto, acima da cabeça de todos. O Certo é que essas “manifestações” estavam afastando os indivíduos da Bíblia, quando na verdade o Espírito Santo nos leva para perto da mesma.

Dentro do Modelo Celular alega-se que “imposição de mãos é metodologia de transferência, podendo por meio dela transmitir bençãos ou maldições... então não deixe que qualquer pessoa imponha as mãos sobre você”... mas, um número superior a 30.000 pastores (do mundo todo, inclusive do Brasil) foram receber dessa “unção” em Toronto e trouxeram para o Brasil... Acredito que você já tenha entendido onde eu queria chegar...

O Espírito Santo glorifica a Jesus Cristo e produz em nós os frutos do Espírito (Gl 5:22,23)... Claro, em todas as igrejas existem divergências e problemas diversos, mas... Não é estranho quando a igreja tem um nível de maturidade e depois que “Deus” começa a operar, tudo piora? O Pr. Paul Gowdy disse em sua carta, no qual discorria sobre o movimento de Toronto (transcrevo-a ao final das minhas considerações), o seguinte:

“Depois de três anos fazendo parte do núcleo da benção de Toronto, nossa igreja Vineyard em Scarborough, ao leste de Toronto, praticamente se alto destruiu. Devoramo-nos uns aos outros com fofocas, falando mal pelas costas, com divisões, partidarismo, críticas ferrenhas feitas uns aos outros etc. Depois de três ano ‘inundados’ orando por pessoas, sacudindo-nos, rolando no chão, rindo, rugindo, rosnando, latindo, ministrando na igreja internacional do aeroporto de Toronto, fazendo parte de sua equipe de oração, liderando o louvor e a adoração naquele local, praticamente vivendo ali, tornamo-nos os mais carnais,
imaturos e os crentes mais enganados que conheci.”

Faço um questionamento: Deus nos fez a sua imagem e semelhança, então com que finalidade Deus faria o ser humano imitar um animal como um cachorro (que na Bíblia, geralmente, representa a miséria espiritual) e ainda fazer o ser humano fingir que está urinando nas pilastras da igreja? Ainda, que se queira aceitar tais coisas, sejamos sinceros que isso não encontra respaldo bíblico, nem mesmo por dedução. (respaldo por dedução é quando não está escrito, mas fica “subentendido”. Por exemplo, a Bíblia não diz que é pecado fumar, mas deduz-se que é pecado porque está escrito que não devemos destruir o nosso corpo que é
Templo do Espírito Santo e o cigarro destrói o corpo).

A pergunta mais importante é: Qual a edificação que tem ocorrido nessa igreja? Pelo relato do Pr. Paul Gowdy, a resposta é nenhuma. A Bíblia é nossa regra de fé e prática e nos ensina que devemos fazer tudo com ordem e decência (I Co 14:40), mas quem vê os vídeos da “Benção de Toronto” não vê nem ordem e nem decência. Devemos testar todos os espíritos... um espírito que “proíbe” a pregação do arrependimento, ira divina, com certeza não é o Espírito Santo...

Não quero fazer um ataque pessoal, mas tenho que falar a verdade. Ana Paula Valadão, no 9º Congresso de Louvor e Adoração Diante do Trono, disse que se você ver algo errado, não “julgue”, não fale para ninguém, apenas ore que Deus a seu tempo mudará a situação, se a mesma tiver que ser mudada. O apóstolo Tiago diz que a fé sem obras é morta e apesar de a Casa ser de Deus, Ele nos pôs por dispenseiros/mordomos, ou seja, cabe a nós, pela autoridade que Ele nos concedeu, combater o engano do lobo que tem infiltrado dentro
da Igreja por meio de uma veste de ovelha.

Creio no poder de Deus e sei que Ele faz da forma que quer, mas sejamos sinceros que Ele jamais nos afastará de sua Santa e infalível Palavra. Não nos esqueçamos que o diabo pode se “mostrar” como “anjo de luz”... Não menosprezemos os seus ardis. Lutemos para nos tornarmos semelhantes a Jesus Cristo e não a animais que “urinam” nas colunas dos templos sem produzir qualquer edificação para a Igreja (I Co 14:26,33).

Vivamos o Evangelho em simplicidade, tal como nos foi entregue pelos apóstolos do nosso Senhor e evitemos modismos que nada nos acrescenta.


“Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que
faça chover milagres todos os dias.”
Martinho Lutero

De vosso irmão e servo em Cristo,
Evangelista Renan,
2010


1 comentários:

Anônimo disse...

Oi Fabinho é a Ludmilla, gostaria de acrescentar que na Bíblia a única vez que um homem imitou e viveu como um animal, foi o rei Nabucodonozor, e Deus fez isso para HUMILHÁ-LO e para que ele dessa aglória somente a Ele. Devemos ter cuidado com essas "unções" animais, que não tem nehum respaldo bíblico! graça e paz!!

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário! Acompanhe cada vez mais as postagens a fim de ser edificado e continue comentando!